Asfalto-borracha entrega rodovias e ruas com vida útil 40% maior

Existe um tipo de asfalto considerado mais ecológico e com maior resistência ao alto tráfego e muito utilizado em rodovias, é o chamado asfalto-borracha. Feito com material diferente do asfalto convencional, com menos ruído gerado pelo tráfego de veículos, melhor absorção de impactos e com menos riscos de acidentes, principalmente em dias chuvosos.

Este modelo utiliza 14% de pó de pneu moído na sua composição original, ou seja, um detalhe extra na composição que leva pedras, areia, brita, ligante asfáltico e água, como explica o gestor da unidade de negócio construtora De Amorim, Bernardo Oliveira:

“A escolha por este asfalto depende do projeto desenvolvido para aquela aplicação, sendo comum que o asfalto borracha seja o preferido para rodovias pelas concessionárias, mas também é aplicado em estradas rurais e vias urbanas”.

Como nasceu o asfalto-borracha?
Tudo começa com a incorporação da borracha moída de pneus ao concreto asfáltico de petróleo (CAP) aquecido em reatores específicos. O restante do processo, ou seja, o processo de usinagem, segue exatamente igual ao realizado no asfalto sem borracha:

“Por pertencer à linha de asfaltos modificados, também é conhecido como AMB, o pó de pneu utilizado na fabricação do asfalto-borracha deriva da reciclagem de pneus descartáveis, o que agrega característica ecológica ao produto, fazendo de um problema, uma grande solução em sustentabilidade”.

Bernardo lembra que em 2016, por exemplo, as pavimentações executadas pela concessionária Ecovia, por exemplo, consumiram quase 1,7 mil toneladas de asfalto-borracha, o que contribuiu para a reutilização de aproximadamente 7,5 mil pneus de caminhão.

“O asfalto fica mais resistente pelo processo de fabricação que modifica as características físico-químicas dos materiais envolvidos, dando origem a um produto de alto desempenho, com valores de viscosidade, ponto de amolecimento e capacidade elástica mais elevados do que os do asfalto convencional.”

Prazo maior de validade
Segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP), a vida útil do asfalto-borracha pode ser 40% maior que a do asfalto convencional, reduzindo, inclusive, a necessidade de reparos na pista. A manutenção é bem menor e a via entregue apresenta maior fluidez de tráfego de veículos:

“Este pavimento asfáltico é mais resistente do que o asfalto convencional, com uma durabilidade média de 14 anos. O resultado é uma camada asfáltica que sofre menos danos do tráfego e das intempéries do tempo, proporcionando maior vida útil ao pavimento do que o asfalto convencional” completa Bernardo.

Veja também

13 de março de 2024
Condomínios e loteamentos asfaltados são valorizados e incorporadoras percebem o movimento
11 de março de 2024
2024 é um bom momento para investir em terrenos e imóveis em Curitiba
8 de março de 2024
PPR inédito, homenagens, emoção e alegria: como foi a noite histórica do Grupo De Amorim