Estado do Paraná é responsável pela extração de 58% de feldspato no Brasil

O Brasil é o terceiro maior produtor de revestimentos cerâmicos conforme a Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer), além de figurar como segundo maior consumidor mundial de peças cerâmicas.

A indústria cerâmica é responsável por 6% do PIB da indústria de material de construção, posicionando nosso país no sétimo lugar como maior exportador mundial com 63 empresas, 71 unidades fabris e 137 marcas que geram 28 mil empregos diretos e 200 mil empregos indiretos.

No Brasil, a reserva conhecida ultrapassa 163,3 milhões de toneladas distribuídas entre diversos estados, com o Paraná responsável por 58,1%, seguido por São Paulo  (15,2%), Tocantins (8,4%) e Minas Gerais (8,1%).

Neste cenário, podemos afirmar que o feldspato extraído na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) ajuda a manter o Brasil no topo da produção de cerâmica. Este mercado gigantesco tem um ingrediente indispensável que sustenta toda a produção: o feldspato:

“O feldspato é formado a partir de rochas que contêm cálcio, potássio ou sódio, normalmente em tons opacos de branco e cinza, mas também rosa a cinza muito escuro. Porém, o feldspato que conseguimos extrair é muito mais branco com valor agregado mais apreciado pelo mercado que procura produzir peças com boa aparência e grande apelo comercial” explica o gestor da unidade de negócio Mineradora de Amorim, Dhyan de Amorim.

Região Metropolitana de Curitiba é rica em feldspato de alta qualidade
Por garantir maior resistência e durabilidade às cerâmicas, o feldspato é adicionado na composição da cerâmica que fica mais resistente. As indústrias utilizam nesta composição cerca de 50% do mineral na mistura. Esta demanda requer grandes volumes extraídos diariamente e a região metropolitana de Curitiba possui um dos solos mais propensos para atender a indústria da cerâmica:

“O Paraná tem as maiores jazidas para extração de feldspato da região sul do Brasil e este material só é possível extrair através da britagem. A composição do feldspato desta região é a mais procurada, pois é um produto que com baixa granulometria, boa constância química e física e alta fundência, que é o termo utilizado para substâncias que agem facilitando como o material derrete para criar produtos cerâmicos” conclui Dhyan.

Veja também

13 de março de 2024
Condomínios e loteamentos asfaltados são valorizados e incorporadoras percebem o movimento
11 de março de 2024
2024 é um bom momento para investir em terrenos e imóveis em Curitiba
8 de março de 2024
PPR inédito, homenagens, emoção e alegria: como foi a noite histórica do Grupo De Amorim