Mineradora de Curitiba triplica produção de asfalto em 2023

A recente pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) de Rodovias em 2022 aponta que o uso de caminhões pesados em estradas com péssimas condições de pavimentação gera um custo desnecessário de R$ 1,072 bilhão em litros de diesel. Esse prejuízo aumenta quando se considera os gastos com manutenção devido ao desgaste causado por trepidações em buracos e acidentes.

Em 2022, cerca de 66% dos 110.333 km analisados em todo o Brasil foi classificado como regulares, ruins ou péssimos na pesquisa, um percentual pior do que o registrado em 2021, que ficou em 61,8%.

A demanda da indústria por asfalto de boa qualidade aumentou tanto que a De Amorim Mineradora, empresa de Mandirituba na Região Metropolitana de Curitiba, adquiriu uma nova usina, triplicando a capacidade de produção. Segundo Dhyan de Amorim, gestor da unidade de produção, explica que agora a capacidade chega a 9 caminhões por hora:

“A capacidade de produção saltou de 70 para 210 toneladas por hora de Concreto Betuminoso Usinado a Quente, o famoso CBUQ, com as duas usinas em funcionamento. O projeto triplicou a capacidade de produção e levou em conta a alta de demanda para atender com maior rapidez as obras num raio de até 150 km da cidade de Curitiba, sejam elas públicas ou privadas.”

O que é CBUQ?
A produção do asfalto CBUQ, que é o composto usado na pavimentação de estradas, envolve a mistura a quente de materiais como areia, britas e CAP (Cimento Asfáltico de Petróleo), formando as camadas aplicadas no revestimento asfáltico. O CBUQ precisa ser aplicado e compactado a quente, portanto, o caminhão sai da usina com o composto a uma temperatura entre 165º e 177º. Essa mistura serve para impermeabilizar e fornecer acabamento nas ruas e estradas niveladas, tanto em vias urbanas quanto em rodovias de alto tráfego.

“Ao produzir mais de 210 toneladas por hora, as obras não precisam esperar tanto tempo para receber o composto, como antes. Com a produção triplicada, mais obras recebem asfalto em um tempo muito menor. Estradas e ruas são concluídas dentro das especificações de cada projeto em prazos mais ágeis, muitas vezes entregando as obras na metade do tempo previsto.”

Qualidade preservada
Mesmo produzindo três vezes mais, a qualidade do material foi preservada para atender todas as especificações de cada obra. Para isso, tudo que é produzido passa por análises constantes em laboratório em lotes tanto na usina quanto nas obras:

“Essa foi uma preocupação durante o processo de ampliação da produção. Todo o volume de CBUQ precisa apresentar alta resistência mecânica para o tráfego de veículos, impermeabilidade imediata, durabilidade e capacidade de distribuir e absorver todos os impactos na superfície”, completa Dhyan.

Veja também

13 de março de 2024
Condomínios e loteamentos asfaltados são valorizados e incorporadoras percebem o movimento
11 de março de 2024
2024 é um bom momento para investir em terrenos e imóveis em Curitiba
8 de março de 2024
PPR inédito, homenagens, emoção e alegria: como foi a noite histórica do Grupo De Amorim