Reciclagem de asfalto: técnica sustentável que não fecha totalmente as vias

Qualquer obra causa transtorno. Por mais necessário que seja renovar ruas e estradas, principalmente em vias antigas e desgastadas, essas intervenções atrapalham a rotina de muitos moradores. Para que essas obras sejam mais ágeis e causem o menor transtorno possível, a solução passa pela reciclagem de asfalto, uma técnica que permite o reaproveitamento total dos materiais usados em uma pavimentação antiga e deteriorada, sem inutilizar o trafego da rua que está recebendo o novo asfalto.

Para Bernardo Oliveira, gestor da De Amorim Construtora, a técnica reutiliza até 100% do material já existente, sem precisar adicionar novos agregados, sendo perfeita para reparar danos e desgastes do asfalto com a mesma eficiência do asfalto totalmente novo, porém com menos transtorno nas vias e muito mais sustentável.

Tudo começa através do corte e trituração do pavimento antigo por meio de um equipamento chamado recicladora, que corta e tritura o asfalto para que ele seja misturado novamente. Imediatante, esse material é espalhado sobre a superfície da via, mesclando o asfalto antigo com material novo que chega ainda quente ao local:

“A segunda etapa é o assentamento e o nivelamento do material reciclado usando três rolos compactadores sobre a camada reciclada para assentá-la de forma eficaz. Nesta etapa, entra também em ação a máquina niveladora para deixar a camada uniforme e lisa. A terceira e última etapa é o acabamento da superfície, que pode receber diferentes tipos de intervenção, conforme a intensidade do tráfego no local”.

Trânsito fluindo durante as obras
Bernardo lembra que durante a reciclagem de asfalto, o trânsito local não fica totalmente paralisado. A obra pode acontecer em meia pista, permitindo o fluxo, mesmo que reduzido, dos motoristas e do transporte público da região:

“A obra é finalizada mais rapidamente por utilizar integralmente materiais já existentes, sem precisar comprar novos agregados. Se precisar de reforço, será em quantidades muito menores. É possível controlar não só os custos, mas o fluxo da região, causando menos estresse para moradores e transeuntes”.

Quanto à resistência e durabilidade do asfalto concluído, a qualidade segue a mesma. O material é retrabalhado no local e compactado imediatamente, gerando, nesse caso, o verdadeiro ganho ecológico por gerar menos resíduos em comparação com outros processos de fabricação de asfalto:

“É mais rápido, sem o fechamento total da via e altamente sustentável. A técnica do asfalto reciclado vem ganhando força nas principais obras em todo o Brasil” completa Bernardo.

Veja também

13 de março de 2024
Condomínios e loteamentos asfaltados são valorizados e incorporadoras percebem o movimento
11 de março de 2024
2024 é um bom momento para investir em terrenos e imóveis em Curitiba
8 de março de 2024
PPR inédito, homenagens, emoção e alegria: como foi a noite histórica do Grupo De Amorim